EM PSICOGRAFIA ESPÍRITO QUE FICOU PRESO EM CEMITÉRIO RECOMENDA NUNCA LEVE PARA CASA NADA DE UM CEMITÉRIO

NUNCA LEVE PARA CASA NADA DE UM CEMITÉRIO

 

ESPÍRITO QUE FICOU PRESO EM CEMITÉRIO RECOMENDA

 

Dizem os antigos que nunca se deve retirar nada de um cemitério.

É um lugar que exige respeito, e temos que entender que nem todos os sepultados ali encontraram a luz.

Muitos ficam vagando e acabam se apegando às coisas mínimas.


Existe uma lenda urbana (que não sabemos se é real ou não, mas possui fundamento), que conta que um grupo de jovens decidiu “matar aula” e passear no cemitério.

Andaram a manhã inteira entre os túmulos, observando a beleza de uns e o abandono de outros.

Quando decidiram ir embora, uma das meninas viu uma flor amarela, bonita, que crescia em um túmulo.

Achou a flor tão bonita, que a pegou para si e levou para casa.

Lá chegando, plantou a flor em um pequeno vaso que havia no fundo do quintal e não contou a ninguém.

Mas obviamente escondeu dos pais que havia faltado à aula.

Três dias depois, a menina acordou indisposta e febril.

Não foi à escola. Com o passar do tempo a indisposição só aumentava.

Sentia arrepios que iam da espinha à nuca, não conseguia se alimentar, não tinha vontade de tomar banho e nem de fazer nada.

A situação foi agravando, ela não conseguia dormir.

Os pais a levaram ao médico e ele não conseguiu diagnosticar nada, mas a menina só piorava.

Durante a noite, em seus momentos de insônia, passou a ouvir lamentos, gemidos e choros no seu quarto.

Gritava assustada, seus pais iam socorrer, mas mesmo assim as lamúrias continuavam.

Uma semana depois, os outros moradores da casa também começaram a sentir coisas estranhas.

Ouviam passos e gemidos, um vento gelado corria pela casa sem que houvesse qualquer corrente de ar.

Estavam todos adoecendo.

Até que finalmente e, por mais irônico que possa parecer, por “sorte”, o pai da menina, que também começou a ouvir os gemidos, ouviu uma voz dizendo “quero minha flor de volta”.

Comentando isso com a esposa e os filhos, a menina se recordou da flor do cemitério e resolveu confessar o que havia feito.

Não foi difícil ligar uma coisa à outra.

Mesmo não se sentindo bem, a menina e o pai levaram a flor de volta ao cemitério, exatamente ao mesmo túmulo de onde foi retirada.

Ali rezaram pela alma do morto, a menina pediu perdão pelo que fez e retornaram para casa.

No mesmo dia as coisas começaram a melhorar.

Os barulhos estranhos e os gemidos desapareceram e a saúde todos melhorou.

Por isso, tenham imenso respeito por cemitérios e por tudo aquilo que desconhecem e não entendem.

Façam como os antigos, que até limpavam os pés ao sair de um cemitério, para não levar na sola dos sapatos nem a terra daquele local.

Deixe uma resposta