Médico diz que coronavírus pode ser só Ensaio de grande pandemia: pode matar Bilhões

Médico diz que coronavírus pode ser só Ensaio de grande pandemia: pode matar Bilhões

 

A pandemia do novo coronavírus transformou a vida de toda população mundial.

A profunda mudança foi tão catastrófica que as consequências do problema ninguém sabe dizer o tempo que vai durar.

No entanto, um especialista fez um alerta assustador para a população sobre a grave situação.

Segundo o profissional, a pandemia provocada pela Covid-19 pode não ser a mais grave a atingir a população mundial nos próximos anos.

“Acho que a pandemia do novo coronavírus está mais para um ensaio geral da big one (a maior, ou a grande pandemia), essa sim uma pandemia que pode matar bilhões”, afirmou Eduardo Massad.

O profissional é físico, médico, atua como professor emérito de informática médica da USP

– Universidade de São Paulo. ele recorre a estudos epidemiológicos, formulas e registros da história para poder fazer a afirmação de que a Covid-19 não vai ser um golpe na expectativa de vida dos seres humanos, sendo esse um dos critérios usados para eleger a maior das pandemias.

De acordo com o médico, a peste negra passou perto, até mais que a própria gripe espanhola, polo impacto demográfico que provocou na Europa inteira.

A Covid-19 vai ser para que a sociedade tire lições importantes e fundamentais sobre o distanciamento social.

De forma especial, pesquisas sobre o comportamento dessa doença respiratória, algo que é importante e essencial para uma grande pandemia futura, pois provavelmente ela atacaria os pulmões, contudo de uma maneira mais avassaladora.

Ao ser questionado sobre o que seria uma grande pandemia, o profissional explicou que ela teria proporções consideradas catastróficas chegando a matar cerca de 2 bilhões de pessoas no mundo inteiro em menos de um ano.

A situação provocaria uma queda bem significativa na expectativa de vida dos seres humanos.

Atualmente, a média é de 72 anos, mas com a grande pandemia passaria para 58 anos.

A possibilidade é baseada, em parte, em eventos que já ocorreram na história, com a peste negra.

Sem a chama da perseverança, a educação não pode patrocinar a iluminação das consciências;

a edificação assistencial não surge na face planetária qual farol benfazejo asilando os náufragos da viagem terrena, e o “homem de ontem” não alcança a claridade do “homem de hoje” para maiores conquistas do “homem de amanhã”.
Se almejas superar a ti mesmo, recorda a firme inflexão da voz do Cristo Excelso:

— “aquele que perseverar até ao fim será salvo”.
Asila-te na fortaleza da fé viva, lembrando que os transes que te visitam, por mais profundos e desconcertantes, têm limites justos e naturais, e que nos cabe o dever de servir, confiar e esperar, para nossa própria felicidade, aqui e agora, hoje, amanhã e sempre.

(Emmanuel. Ideal Espírita. Ed. Comunhão Espírita Cristã, Cap. 6

RECEBA MOSSA NEWSLETTER

Fonte

Deixe uma resposta