Psicografia de José Rico

Psicografia de José RicoPsicografia de José Rico

Psicografia Lino Zechetto Araçatuba SP
21/07/019

Meus queridos amigos. Atenção especial aos meus familiares encarnados que com certeza estão muito saudosos de mim.
José Rico

Saudações ao meu caro amigo Marcos que selou minhas cartas marcando os encontros que muita felicidade traria a nossa família.

Me refiro ao prezado amigo médium, Lino Zechetto, eu daqui desse magnífico, esplendoroso, eterno, mágico, plano espiritual e meus amores, filhos e esposa que ao lançarem, ondas de Amor, dirigidos a minha pessoa, fazem com que eu possa resgatar todas as sensações sentidas enquanto encarnado e muito amado, acarinhado por eles.

Mas, vamos falar do presente.

Eita coisa boa!

Poder interagir com vocês. Domingo especial esse.

Somos cancioneiros, violeiros e compomos, muitas vezes, a dor do Amor, o louvor à vida e ingênuas, singelas homenagens aos homens do campo que labutam com o gado, com a lavoura, prezando à família, criando os filhos e entregando-os aos ofícios e a vida na cidade grande.

Eu confesso que vendo os meus filhos, já crescidos, melhor não poderia ter feito para amparalos, nos momentos difíceis pelos quais passaram, e educa los tão bem como tem realizado a nossa querida Berenice.

Muito poderia se realizar em nosso mundo sertanejo se nossos grandes e consagrados compositores tivessem conhecimento mais aprofundado do plano espiritual.

Quantas histórias a serem musicadas nesses mistérios que envolvem o Céu e a Terra.

São intensas as emoções dos que se separam pelo desenlace do corpo físico e mantém correntes interligadas eternamente aos que amam.

Quando aqui estamos à escrever, os textos quando cabem musicalidade, nós entoamos por aqui.

E as rodas de viola acontecem, como aí vocês estão acostumados, apenas, mesmo que comparado aos ‘luares dos sertões’ mágicos em noites de lua cheia aqui nos sentimos eternos como nunca ousamos, fraternos entre irmãos, com o coração muitas vezes apertado, pois, a saudades faz com que aumente a dor da separação.

O véu do desconhecimento é desvendado e cientes das ‘leis do universo’ procuramos, sem rodeios, o que nos faz sentir em paz.
Peço a Deus que nos proteja à todos, quem quer que seja. E tenhamos um futuro melhor.
José Rico

Deixe uma resposta